Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Facebook > Aprovado Doutorado acadêmico do PPGAA/INEAF em Agriculturas Familiares e Desenvolvimento Sustentável
Início do conteúdo da página
Últimas notícias

Aprovado Doutorado acadêmico do PPGAA/INEAF em Agriculturas Familiares e Desenvolvimento Sustentável

  • Publicado: Terça, 11 de Dezembro de 2018, 16h34
  • Última atualização em Terça, 11 de Dezembro de 2018, 16h52
  • Acessos: 688

O curso de Doutorado Acadêmico em Agriculturas Familiares e Desenvolvimento Sustentável (DAFDS) apresentado pelo Instituto Amazônico de Agriculturas Familiares (INEAF) da Universidade Federal do Pará (UFPA) foi aprovado pela CAPES/MEC na 181ª Reunião da CTC-ES, realizada no período de 28 a 30 de novembro de 2018. O curso aprovado é resultado da trajetória do Programa de Pós-graduação em Agriculturas Amazônicas (PPGAA), cujo Mestrado em Agriculturas Familiares e Desenvolvimento Sustentável (MAFDS), reconhecido pela CAPES em 2000, se encontra em sua 19a turma, enfocando as questões agrárias e ambientais interdisciplinarmente.

 

 

Foto: Maurício Torres

 

No contexto institucional, o PPGAA está atento ao papel da UFPA nos cenários acadêmicos regional, nacional e internacional, sobretudo da Pan-Amazônia e América Latina.  Nas Instituições de Ensino Superior (IES) na Amazônia em geral, e no Estado do Pará em particular, os cursos que tratam da questão agrária ou da questão ambiental, seja na capital seja no interior, historicamente, têm sua plataforma educacional voltada, no primeiro caso, apenas para a questão agrária, tendo o ambiental como marginal. Cursos voltados para a questão ambiental tratam da questão agrária ainda mais tangencialmente. A inovação de nosso Doutorado será formar profissionais capazes de lidar com a complexidade de situações em que aspectos agrários, ambientais e sócio-culturais são indissociáveis, empírica e conceitualmente.

 

 

Foto: Pedro Martins

 

Ressalta-se que a proposta do PPGAA vem sendo construída desde o final dos anos 1980 em parceria com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, através da Embrapa Amazônia Oriental. Desde a primeira promoção, a Embrapa tem sido ininterruptamente associada e colaboradora destacada, inclusive assumindo a vice-coordenação do programa de 2000 a 2014. No mesmo convênio, a Embrapa garante a disponibilidade de infra-estrutura como laboratórios, herbários, xiloteca, bibliotecas e auditórios, localizados em sua Unidade em Belém e campos experimentais situados em diversos municípios. Essa parceria inovadora tem garantido ampliar o potencial de desenvolver pesquisas envolvendo docentes e discentes, pois a Embrapa Amazônia Oriental, unidade com maior concentração de pesquisadores da instituição no país, tem longo histórico de atuação em pesquisa e desenvolvimento na região, abordando vários aspectos relacionados ao tema do curso.

  

Ainda em termos do contexto institucional, o apoio da CAPES e CNPq tem sido contínuo e crescente, por meio de bolsas de mestrado, iniciação científica e auxílios financeiros, sob a mediação da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-graduação, a PROPESP, da UFPA. Temos também uma parceria forte e antiga com instituições internacionais, especialmente francesas, tendo-se pesquisas em parceria com o CIRAD desde o início do programa e, atualmente, contando com um professor permanente deste centro.  Em adição a ensino e pesquisa, nosso contexto institucional também é fortemente marcado pela atuação do INCRA e MDA/SEAD (Ministério do Desenvolvimento Agrário, atual Secretaria da Agricultura Familiar e Desenvolvimento Agrário), IBAMA, ICMBio e SEMAS, bem como com o Núcleo Agrário do Ministério Público Estadual e do Ministério Público Federal, com quem interagimos através de parcerias e projetos.

registrado em:
Fim do conteúdo da página